Vereador Anselmo Martins apresenta projeto que visa controlar a proliferação de pombos e evitar doenças em Ribeirão Pires.

O objetivo é controlar a população de aves, evitando contaminações por doenças onde deverão ser criadas ações de conscientização da população para não alimentar. È melhor prevenir do que remediar

Será votado nesta quinta-feira (22) um Projeto de Lei de iniciativa do vereador Anselmo Martins (PR) que pretende implantar serviço permanente para controle de doenças e proliferação de pombos. Conforme proposta, o serviço será viabilizado pelo executivo municipal e sob responsabilidade do Centro de Controle de Zoonoses de Ribeirão Pires.

“Existe a necessidade de um plano de controle de reprodução destas aves, visto que assim como os ratos, as Pombas são classificadas como pragas por órgãos ambientais e de Saúde”, esclareceu o edil em contato com o Blog Caso de Política.

Segundo ainda justificou Anselmo Martins, o objetivo é controlar a população de aves, evitando contaminações por doenças onde deverão ser criadas ações de conscientização da população para não alimentar e não usar as aves para consumo próprio ou animal. É preciso ainda um sistema de limpeza diária nos locais onde há concentração dos pombos, pois suas fezes são prejudiciais à saúde e podem causar problemas respiratórios e afetar o sistema nervoso, podendo causar morte e pessoas e animais domésticos. É melhor prevenir do que remediar”, disse o parlamentar que confirmou ao Caso de Política que uma emenda ao projeto original será apresentada durante a sessão desta quinta-feira para alterar dispositivo que previa multa para quem fosse flagrado alimentando as aves.

Os pombos parecem aves inofensivas e muito simpáticas ao olhar por simbolizarem a paz, mas transmitem diversas doenças para os seres humanos que precisam ficar atentos para não serem contaminados.

Eles vivem em locais onde há restos de alimentos, estão em todos os lugares, especialmente onde há abundância de lixo, que também serve de alimento para pombos famintos.
A Criptococose é a principal doença transmitida pelos pombos, que contamina as pessoas através da inalação de fungos que estão presentes nas fezes deste animal. Ela ataca o pulmão e pode chegar também ao sistema nervoso central, ocasionando sintomas como dor de cabeça, sonolência e febre. Em alguns casos, pode causar até meningite. Cerca de 30% das pessoas infectadas morrem.

Outra doença comum é a histoplasmose, também transmitida pelos fungos das fezes dos pombos. Ela origina uma micose muito profunda que chega a afetar os órgãos internos do ser humano.

A salmonelose, outra doença ligada aos pombos, apresenta os sintomas de uma intoxicação alimentar, principalmente de carne contaminada. Ela causa diarreia e outras dores abdominais.
Os pombos também podem transportar alguns micro-organismos nas penas. Por causa disso, podem causar dermatites caso entrem em contato com os seres humanos. As dermatites causam muita coceira, infecções e até se transformam em alergias que afetam o sistema respiratório.
A melhor forma de evitar a contaminação de doenças transmitidas pelos pombos é não criar condições para a proliferação da ave perto de residências, não dando alimento e água. Manter forros, calhas e telhas sempre limpos também ajuda muito quando o objetivo é afastar essas aves de sua família.

Os pombos são animais muitos frequentes em qualquer cidade, e a transmissão de doenças acontece principalmente através do cocô e, por isso é preciso ter cuidado para evitar o contato direto com as fezes. Além disso, é importante que as cidades façam uma limpeza adequada das fezes, já que, quando secam, podem virar poeira e acabar sendo aspiradas para os pulmões.

A página www.pombo.org (especializada na ave) apresenta um levantamento realizado por 14 anos pelo Departamento de Neurologia da Faculdade de Medicina de Rio Preto. No estudo é apontado que 42 pessoas morreram vitimadas por doenças transmitidas por Pombas e que desde o início do estudo, um total de 198 pessoas vieram a óbito. Para saber mais clique aqui.

A proposta do vereador Anselmo Martins, pode de certa forma ser comparada a castração de cães e gatos para o seu controle populacional. Caso a proposta seja bem compreendida pelo cidadão, as pombas poderão inclusive migrar para outras regiões A bom tempo atrás uma pessoa me disse que “pombos são ratos com asa, na doença e na proliferação”. Luis Carlos Nunes

Deixe uma resposta