Vereador Rato é acusado de roubar projetos.

Segundo afirmou o vereador, “a conversa sobre o projeto teve início ainda no final de 2017”

O clima esquentou na Câmara Municipal de Ribeirão Pires, durante a sessão legislativa desta quinta-feira (08), que foi marcada por bate-boca e acusações entre parlamentares. A controvérsia teve início logo após leitura de uma indicação assinada pelo vereador Rato Teixeira (PTB), que versava sobre o “Projeto Patrulha Maria da Penha”.

Visivelmente aborrecido, o vereador Amigão D’orto (PTC) ocupou a Tribuna da Casa e no uso da palavra, convocou o vereador Rato para o debate.

“A poucos momentos eu ouvi fazendo uma indicação em nome do vereador Archeson Teixeira instituindo no município o programa patrulha Maria da Penha. Eu gostaria que o vereador subisse na Tribuna e passasse um pouco mais do seu projeto vereador. Esse foi um projeto que eu fiz indicação ao executivo municipal e até hoje eu não obtive resposta e estranhamente me aparece o senhor com o mesmo projeto, com o mesmo nome. Isto porque? Porque o senhor é sobrinho do prefeito? Isso aí é favorecimento? Acredito que esta Casa de Leis não pode aceitar um negócio desses! Se não, não teremos valor algum aqui como vereadores e acredito que podemos ir todos embora e ficar aqui e deixa o Rato e o prefeito Kiko. E me desculpa, a gente tenta, a gente luta e tenta fazer um bom trabalho tabelando junto com o executivo municipal e me assombro e me espanto com o meu projeto sendo apresentado pelo senhor! Isso não é a primeira vez que isso acontece. A pouco o senhor (Rato), um projeto que eu tive com o vereador Banha numa conversa dentro dos gabinetes da prefeitura dentro que instituía a semana da proteção animal, o senhor estranhamente, brilhantemente me apresenta o mesmo projeto. Gostaria que o senhor explica esse projeto”.

Em sua defesa, o vereador Rato disse: “recebi esse projeto de um ex secretario de Mauá me passou. Ele me disse que seria legal você implantar aí na cidade”.

Insistindo, o vereador Amigão disse, “Eu gostaria que o Senhor explicasse o projeto”.

O vereador Flávio, sentindo o clima tenso e hostil, tentou mediar o conflito propondo entendimento os edis.

O blog Caso de Política, fez o registro em vídeo que segue ao final onde nosso leitorado pode tirar as suas conclusões através de posturas e falas.

Procurado em seu gabinete após o término da sessão, o vereador Amigão D’orto apresentou ofício protocolado na Secretaria de Assuntos Estratégicos datado de 16 de fevereiro juntamente com minuta do projeto Patrulha Maria da Penha de 01 de fevereiro. Segundo afirmou o vereador ao blog Caso de Política, “a conversa sobre o projeto teve início ainda em dezembro de 2017. Abaixo a documentação recebida.

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.