Vereadores são contra retirada do CRAS do Jardim Caçula e Ouro Fino.

Diva do Posto e Eduardo Nogueira

O governo do prefeito Saulo Benevides (PMDB) recebeu duras críticas sobre a possível mudança de endereço do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) dos bairros do Jardim Caçula e Ouro Fino.

Com endosso por parte de todos os vereadores presentes na sessão desta segunda-feira (11), os vereadores Eduardo Nogueira e Diva do Posto, direcionaram requerimento de informações ao executivo com o objetivo de saber quais as razões que justifiquem essa possível decisão.

O receio por parte dos vereadores é o transtorno que essa medida irá causar a população, em especial aos usuários mais carentes.

O vereador Eduardo Nogueira disse ser contrário por razões óbvias. “A informação que recebemos, é de que seria feito a transferência para o centro alto que é local onde dificultaria o acesso de pessoas por transporte público uma vez que teriam que arcar com os custos. Nada justifica e vamos combater esse despautério. Argumentar que isso é pra facilitar não é verdade uma vez que na região do centro já existem locais que fazem atendimento social inclusive de cadastro para o programa Bolsa Família”, argumentou Eduardo Nogueira.

Já a vereadora Diva do Posto, justificou de que a população do Caçula e de Ouro Fino apresenta maior número de pessoas em risco de vulnerabilidade social. “Conheço bem ambos os bairros. Mudar o local é impor ainda mais dificuldades a quem já passa por flagelo. É preciso que se fortaleça ainda mais o atendimento social nessas regiões e não retirar aparelhos públicos. É preciso que se ampare as famílias com os diversos programas sociais das três esferas, inclusive, oferecendo um diálogo com escolas, postos de saúde priorizando sempre crianças, adolescentes e idosos”, disse Diva do Posto.

Francamente, querer economizar dando prejuízo ao cidadão é no mínimo piada de mal gosto. Beira a desumanidades e revela fala de sensibilidade social. Usar “verba pública” para facilitar a vida dos menos desprovidos é tão somente investimento. Custo em verdade, é manter pomposas e generosas cifras a protegidos que em sua maioria não valem o custo e muito menos trazem benefícios. Ademais, qual seria a desculpa, se por razões obvias alguém que somente tem como renda benefícios sociais e o mesmo perdesse? Seria preguiça ou o que? Luís Carlos Nunes

You can leave a response, or trackback from your own site.

Leave a Reply