Viaturas da GCM começam a ser consertadas mas dissídio atrasado ainda é incerto.

O sub-comandante da GCM de Ribeirão Pires entrou em contato com o Caso de Política para esclarecer fatos relatados em matéria  intitulada, “GCM’s de Ribeirão denunciam viaturas quebradas, falta de combustível e sinalizam por possível greve”.

Segundo Sandro Amante, “duas viaturas que estavam quebradas, saíram nesta segunda-feira da oficina mecânica e se encontram em condições para o trabalho. As outras duas tem previsão para estarem com a manutenção feita até quinta-feira”.

Sandro ainda disse que: “as duas viaturas que voltam a tropa vão operacionalizar em regime de 24 horas em conjunto com duas viatura da Romu e uma do Canil”.

Sobre a viatura nova que fora recebida em doação pela CBC no mês de março, o sub-comandante afirmou que a mesma “foi emplacada”.

A Guarda Civil Municipal de Ribeirão Pires é reconhecida pela população como órgão da administração pública como um dos poucos atuantes e eficientes na cidade.

Os guardas se queixam a tempos dos baixos salários e de falta de respeito por parte da administração municipal que nos anos de 2016, 2017 e 2018 não realizou pagamento de dissídio salarial capaz de recompor perdas inflacionárias. Muitos alegam que se mantém na ativa por amor a profissão e que para garantirem a sobrevivência estendem suas jornadas realizam bicos.

Um sindicato que representa categoria servidores públicos na cidade ingressou na justiça requerendo o pagamento das reposições inflacionária, obtendo ganhos em causas, mas a prefeitura vem recorrendo para não efetivar os devidos pagamentos. Da mesma forma servidores que ingressaram com ações através de advogados particulares não estão conseguindo o cumprimento das decisões.

Não é recente, a fala por parte de guardas de que a GCM da Estância, por insatisfação pode deflagrar greve, assim como noticiamos anteriormente aqui no Caso de Política. em março desse de 2018, registramos o desabafo de um dos guardas.

“Sentimento de esgotamento, para completar renda, os gastos que temos hoje em dia com R$ 1.096,00 não dá. Tem muito guarda que se dedica muito mais ao bico do que na função, ele acaba não tendo descanso, trabalha todos os dias, sem ter tempo de ficar com a família, isso revolta muito, pois não temos plano de carreira, não temos nada para nos motivar e muitos ainda tiram dinheiro do bolso para manutenção das viaturas, coisas como pneu, óleo ou ter que se humilhar em algum comércio e pedir, ter que mendigar, é tudo isso este desgaste emocional que temos e reflete tudo na nossa vida”.

Além dos salários corrigidos, os Guardas cobram plano de carreira e especialmente o cumprimento integral da Lei Federal nº 13.022, de 8 de agosto de 2014 que dispõe sobre o Estatuto Geral das Guardas Municipais.

É lamentável que viaturas devam parar para que algum tipo de manutenção seja feito, da mesma forma é triste ver os heróis da GCM sendo deixados de lado e sem a mínima dignidade no trabalho para oferecerem segurança a população. Para garantir a sobrevivência, enfrentam jornadas extras se expondo ao perigo e aumentando a taxa de estresse. São inúmeras as ocorrência feitas pelos GCM’s. Tráfico, roubo, recuperação de veículos roubados, apreensão de armas… Os guardas tiram leite de pedras, mas o governo… esse vai bem… A GCM é aclamada pela população como “A ENTIDADE” que funciona e dá resultado, muito diferente de outras pastas da administração municipal, todas sucateados.  São preparados, e em meio ao incontável número de ações, não se houve falar em mortos. Há prisões, há flagrantes, há diligências sempre com grande responsabilidade e respeito a vida. Fica aqui todo o apoio e solidariedade do Caso de Política a esses valorosos e respeitados homens e mulheres, cidadãos que a duras penas, cumprem a sua árdua função social de zelar pela segurança da população de Ribeirão Pires. Luís Carlos Nunes

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.