Oeste da Bahia: Coelba pretende investir R$ 113 milhões

Os R$ 113 milhões disponibilizados no orçamento da empresa para o Oeste são destinados à construção de subestações e linhas de distribuição em alta (138 kV) e média (34,5 kV) tensão

O Oeste da Bahia concentra expressiva fatia do agronegócio no estado, respondendo por mais de 80% da produção de grãos, produzindo nos chapadões a soja, algodão, milho, café e arroz. Os produtores costumam reclamar tanto da oferta quanto da qualidade no fornecimento de energia.

Na área de Formosa do Rio Preto, o investimento será de R$ 44,6 milhões. As obras para construção da Subestação São Marcelo, da linha de alta tensão 138 kV Rio Branco/São Marcelo e da linha de média tensão 34,5 kV São Marcelo, estão na fase de licenciamento ambiental.

Além disso, nessa região, será construída nova entrada de linha 138 kV e implantado novo reator na Subestação Rio Branco, equipamento que proporcionará maior qualidade nos níveis de tensão para as cargas atendidas, segundo a empresa.

Para a região de Luis Eduardo Magalhães, o volume chega a R$ 12,3 milhões. Já foram concluídas as construções das subestações Mundo Verde e São Desidério e da linha de média tensão Mundo Verde. Além disso, também em construção a terceira entrada de linha 34,5 kV na Subestação Roda Velha e implantação de novo reator na Subestação Rio Grande. Com projeto concluído, serão iniciadas e entregues ainda este ano as obras de construção da entrada de linha 138 kV na Subestação Rio das Pedras.

Na região de Pratudão, a Coelba já destinou R$ 22 milhões em obras realizadas desde o início do ano passado, como a construção da Subestação Rio Itaguari e a linha de alta tensão Rio Formoso/Rio Itaguari. Atualmente, encontra-se em fase de obras a linha de média tensão Itaguari, a Subestação Pratudão e a linha de média tensão Pratudão.

Na área de Correntina, estão sendo investidos R$ 7,7 milhões para introdução de 138 kV na Subestação Rio das Éguas. O projeto já foi concluído e a previsão de entrega desta obra é até o final deste ano. (Da Redação com Correio)

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.