Papa Francisco: Gays não devem ser julgados ou marginalizados

A bordo do avião que o levou do Rio de Janeiro para Roma, o papa Francisco afirmou neste domingo (28/jul) que, segundo o Catecismo da Igreja Católica, a orientação homossexual não é pecado, mas os atos, sim. “Se uma pessoa é gay e procura Deus e a boa vontade divina, quem sou eu para julgá-la? O Catecismo da Igreja Católica explica isso muito bem. Ele diz que eles não devem ser marginalizados por causa disso, mas que devem ser integrados à sociedade”, afirmou. As declarações foram feitas a jornalistas quando o pontífice respondia a uma pergunta sobre o chamado “lobby gay” do Vaticano. “O problema não é ter essa orientação. Devemos ser irmãos. O problema é fazer lobby por essa orientação, ou lobbies de pessoas invejosas, lobbies políticos, lobbies maçônicos, tantos lobbies. Esse é o pior problema”, disse, e brincou: “Vocês veem muito escrito sobre o lobby gay. Eu ainda não vi ninguém no Vaticano com um documento de identidade dizendo que é gay”.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.