Vereador Gillian concede entrevista exclusiva e faz avaliação de seu mandato à frente do poder legislativo

 
Presidente da Câmara de Formosa do Rio Preto desde 1º de janeiro de 2013, o vereador reeleito, Gillian Rocha tem se mostrado um homem sério e comprometido. Primeiro porque assumiu compromisso de luta em favor da população e, segundo, porque se dedica ao seu oficio de legislador e fiscalizador com muito afinco.
Em entrevista exclusiva, o presidente da Câmara de Vereadores de Formosa do Rio Preto, falou sobre os trabalhos desenvolvidos nos primeiros meses de sua gestão à frente da casa legislativa, suas expectativas e projetos e pautou seu mandato com soluções e propostas eficazes. Como administrador da Casa de Leis, afirmou que não abre mão da boa gestão dos recursos públicos.
Oeste Global – Como o senhor se sente na qualidade de vereador presidente da Câmara de vereadores de Formosa do Rio Preto?
Gillian – Me sinto muito honrado, porém existe um grande aumento nas responsabilidades. Hoje além de cumprir atividades típicas de vereador, administro a casa, cuido dos funcionários, represento a casa além das fronteiras do município quando convocado ou necessário, cuido das finanças.
OG – Presidente, qual a avaliação que o senhor faz desses 100 dias a frente do legislativo municipal?
Gillian – Minha avaliação é bastante positiva. Conseguimos despertar o interesse dos cidadãos formosenses pelas matérias discutidas na casa, objetivamos a transparência nas ações e decisões legislativas e, principalmente, o diálogo que conseguimos estabelecer com os vereadores no sentido de agilizarmos e qualificarmos melhor os debates.
OG – Quais as principais dificuldades encontradas na câmara?
Gillian – A principio foram duas: estreitar o relacionamento com os vereadores da base governista e reestruturar o quadro de pessoal. Para que se tenha uma ideia, o expediente antes de minha gestão começava às 8 horas e se encerrava às 14 horas. Conseguimos com muitos esforços estender o funcionamento da câmara. Hoje, nossos funcionários cumprem jornada diária de 40 horas semanais.
OG – Vereador, a que o senhor atribui o aumentando no número de munícipes nas sessões?
Gillian – A participação popular sempre foi um dos nossos objetivos. Acredito que seja um direito do cidadão o conhecimento do que se passa na vida pública, na política. Nesse sentido, estamos propondo uma nova dinâmica na casa. Nossas pautas contemplam os interesses da população. A isso devemos a todos os vereadores pela responsabilidade e o comprometimento apresentado. O resultado é um maior interesse da população que cada vez mais se sentem representadas.
OG – Você se considera um vereador de oposição?
Gillian – Partidariamente, sim. Politicamente a minha defesa é pelo bem geral de Formosa do Rio Preto. Não faço oposição pela oposição, ou para criar dificuldades para o Executivo. Sou a favor dos projetos e decisões que favoreçam o desenvolvimento do nosso município. Hoje na câmara a maioria dos vereadores foi eleita pela oposição. A situação fez cinco dos onze vereadores. Eu, o vereador Pilosão, o vereador Netinho, o vereador Jonas Batista, o vereador Zé de Zuza e o Vereador Meletinha, estamos dispostos a colaborar para que o prefeito possa fazer um governo maravilhoso. Estamos dispostos a analisar e votar em tudo o que for bom e melhor para a população, porque necessidade a população tem muita. Então quando a gente começa a questionar o governo não se pode achar que é só oposição. O governo hoje tem todas as ferramentas para trabalhar. E se não trabalhar não vai ser por entrave na câmara. É claro, que hoje existe um consenso de fiscalização da maioria. A fiscalização vai ser mais intensa porque mais vereadores vão cobrar requerimento, cobrar explicações, fazer indicação de obras indo à tribuna. Isso é saudável para a democracia!
OG – Presidente Gillian, como o senhor avalia seu relacionamento com os vereadores e em especial com os da base do governo?
Gillian – É boa, a câmara é uma casa de debates, não é a casa do sim senhor! Quando se vê vereadores debatendo e se posicionando antagonicamente, ou contrario a ideias de outro, tenho certeza de que tudo não passa de divergência de ideias, não é nada pessoal. A ferramenta de trabalho do vereador é a palavra. É através da exposição de pensamentos e do debate que se constrói leis e que se encaminha o município.
OG – Quais as demandas hoje que mais chegam ao seu gabinete?
Gillian – As maiores demandas que chegam são por atendimento médico, remédio e emprego. As pessoas têm muitas carências. A nossa atividade como vereador, é legislar e fiscalizar o cumprimento das leis pelo executivo. Como vereador, eu posso chamar a atenção do executivo, para ele se preocupe mais com a saúde, ou se tiver que contratar alguém, que seja de dentro de Formosa do Rio Preto, por exemplo.
OG – Qual a importância da mídia social hoje na fiscalização e na aproximação da câmara com a população?
Gillian – A importância é grande, claro que sem seus excessos, mas de uma forma geral é uma coisa boa. A imprensa aproxima a população do vereador, o que a gente não consegue ver, onde a gente não consegue chegar à imprensa nos ajuda mostrando. Não concordo com o que dizem que é uma fatia muito pequena da cidade que tem acesso às mídias sociais. A participação está cada vez maior. Mesmo que as pessoas não vejam as questões pela mídia social, elas ficam sabendo nas conversas, nas ruas, nos bares e nas escolas, isso é o chamado efeito dominó. A notícia chega longe. E estamos falando aqui, localmente, veja essa revolução no mundo árabe, se deu pelas mídias sociais. Estamos transmitindo todas as nossas sessões pela rádio comunitária local, o resultado está totalmente acima de qualquer expectativa. Hoje o vereador pensa mais pra falar, porque tem sempre alguém ouvindo e analisando as suas falas. É como dizem, quem tem medo de lobo-mau não passeia no bosque.
OG – Vereador, quero agradecer a oportunidade      e solicitar para que faça as suas considerações finais.
Gillian – Agradeço a oportunidade da entrevista, e dizer que vamos cumprir nossa função social. Eu acredito que tudo nessa vida deve ter uma função social. A escola deve ter a função de educar, o religioso deve ensinar a palavra de deus, o empresário de gerar empregos. Como presidente da câmara quero colaborar para o desenvolvimento de nossa cidade. Formosa do Rio Preto é uma cidade pujante, que cresce dia após dia. Por outro lado, o nosso povo tem muitas demandas e carências. Nosso objetivo é ver, um dia nossa cidade menos desigual, com nossa juventude progredindo, nossos servidores públicos satisfeitos e motivados podendo prestar bons serviços aos cidadãos.

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.